Bahia perde muitos gols, leva dois e é derrotado pelo Fluminense

Bahia perde muitos gols, leva dois e é derrotado pelo Fluminense

Regras e mantras do futebol costumam ser tão claros quanto cruéis. Tem a famosa lei do ex, há também aquelas situações de se ganhar jogo na camisa – quando times de tradição vencem partidas que tinham tudo para perder. Por fim, há aquele jargão que prega: quem não faz, toma. Contra o Fluminense, neste sábado (12), o tricolor perdeu muitos gols e tomou. No Maracanã, os gols de Nenê e Daniel deram a vitória por 2×0 aos donos da casa. O Bahia chegou ao terceiro jogo consecutivo sem vencer. O sonho da Libertadores se afasta do tricolor.

Foi irritante a quantidade de gols que perdeu o Bahia. Foi desperdício para dar e vender. Élber e Lucca perderam sem goleiro. Arthur Caíke chutou em cima de Muriel, que ainda operou milagre em chute de João Pedro. No final das contas, caiu a invencibilidade de seis jogos que o Bahia ostentava sobre o Fluminense na Série A.

O jogo

Bahia e Fluminense fizeram mais do que um jogo neste sábado (12), pela 25ª rodada do Campeonato Brasileiro. A partida representou bastante para além das quatro linhas: Roger Machado e Marcão, técnicos das duas equipes, protagonizaram o confronto entre os dois únicos técnicos negros na elite do futebol brasileiro.

A dupla entrou vestindo uma camisa do Observatório da Discriminação Racial no Futebol, entidade que tem objetivo de “monitorar e divulgar, através de seus canais, os casos de racismo no futebol, assim como ações informativas e educativas que visem erradicar a intolerância que tanto macula a democracia das relações sociais”.

Roger e Marcão antes do jogo, no Maracanã (Foto: Divulgação/EC Bahia)

Em campo, quem começou melhor foi o técnico do Bahia. Titular de última hora por conta do veto a Nino Paraíba, com dores na panturrilha, João Pedro fez uma linda jogada na direita e deu o gol para Élber fazer. Mas o camisa 7 conseguiu o impossível: a menos de um metro do gol vazio, chutou para fora. O lance aconteceu no primeiro minuto de jogo.

Fazendo seu primeiro jogo como titular na volta ao Bahia, João Pedro poderia iniciar como herói dando assistência em sua primeira descida, mas logo vestiu máscara de vilão. Aos 19 minutos, segurou Yony González dentro da área cometendo pênalti claro, assinalado pela arbitragem. Na cobrança, Nenê deslocou Douglas e abriu placar para o Fluminense.

O Bahia fez um primeiro tempo nervoso. O time pareceu sentir o gol perdido de forma precoce. Ainda assim, quando colocava a bola no chão conseguia criar. Foi assim quando Élber fez bom cruzamento da direita, mas Gilberto, sozinho, cabeceou fraco nas mão de Muriel. Do outro lado, o Fluminense encontrava facilidade para descer pelo setor direito da defesa do Esquadrão. Guerra não conseguia fechar os espaços e isso deixou o setor defensivo exposto. Yony González tentou aproveitar em duas oportunidades: na primeira, chutou pra fora. Na segunda, parou em Douglas.

Antes do apito soar encerrando a primeira etapa, o Fluminense ampliou. João Pedro recebeu passe da esquerda e carimbou a trave. Daniel pegou o rebote e, de cabeça, fez o segundo do Fluminense. Douglas chegou a tocar na bola mas não conseguiu impedir que a bola entrasse.

Segundo tempo
Roger sabia que o 2×0 colocava seu time em uma luta contra o relógio. Não havia muito a perder e o técnico do Bahia promoveu duas alterações logo na volta do intervalo. Guerra e Ronaldo saíram para a entrada de Arthur Caíke e Lucca. O camisa 77 entrou incendiando e criou duas oportunidades antes dos 5 minutos na segunda etapa. Primeiro aproveitou bobeira, driblou Muriel, mas perdeu o ângulo e chutou pra fora. Depois tabelou com Gilberto e rolou pra Flávio, dentro da grande área, isolar a bola.

O Bahia abusava de perder gols. Em mais uma vez que a pressão teve sucesso no campo de ataque, Gilberto desceu para a direita e rolou para Lucca. Mais uma vez, sem goleiro, o tricolor não conseguiu marcar. Desta vez, Gilberto, lateral do Fluminense, salvou o chute em cima da linha. Teve mais: o próprio Arthur Caíke se atrapalhou sozinho quase na pequena área. Élber, João Pedro e Gilberto pararam nas mãos de Muriel.

A derrota deixou o Bahia estacionado na 8ª posição com 38 pontos. O tricolor pode ser ultrapassado pelo Athletico-PR, que joga no próximo domingo (13), contra o Flamengo. A diferença para o G6 pode subir para até 3 pontos – tudo depende do resultado da partida entre Internacional x Santos, no Beira-Rio, também no domingo.

FICHA TÉCNICA
Campeonato Brasileiro | Série A | 25ª Rodada
Fluminense 2×0 Bahia
Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ).
Fluminense: Muriel, Gilberto, Nino, Digão (Frazan) e Orinho; Aírton (Dodi), Daniel e Nenê; Yony, W. Nem (Guilherme) e João Pedro. Técnico: Marcão.
Bahia: Douglas, João Pedro, Lucas Fonseca, Juninho e Giovanni; Flávio, Gregore e Ronaldo (Arthur Caíke); Guerra (Lucca), Élber e Gilberto Técnico: Roger Machado.
Gols: Nenê, aos 20 minutos do primeiro tempo e Daniel aos 44 minutos do primeiro tempo
Árbitro: Héber Roberto Lopes (RS).
Amarelos: João Pedro (Bahia)
Renda: R$ 410.305,00 | Público: 16.880 pagantes.

*supervisão do editor Herbem Gramacho

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *