FAMILIARES DE JOVENS JOGADORES DENUNCIAM HOMEM QUE SE PASSAVA POR AGENTE DE FUTEBOL

FAMILIARES DE JOVENS JOGADORES DENUNCIAM HOMEM QUE SE PASSAVA POR AGENTE DE FUTEBOL

Homem se passou como agente de atletas e familiares denunciam golpe. FOTO: TV Santa Cruz

Familiares de garotos que sonham em ser jogador de futebol na cidade de Ibicaraí, distante 70 km de Ilhéus, denunciaram um homem que diz ser agenciador de atletas.

Alessandro Nascimento, de 14 anos, é um dos jovens que recebeu a promessa de um homem chamado Cláudio Moraes, para jogar no Corinthians. Segundo o garoto, que treina pelo menos três vezes na semana, o agenciador informou que ele precisava pagar R$ 230 pelo contrato.

“A gente pensou até que tinha acontecido um acidente com ele, um que aconteceu em Ilhéus, todo mundo perguntava se era ele que estava no carro. Ele sumiu nesse dia”, contou o garoto.

“Eu tive que arrumar esse dinheiro, tomar emprestado, porque ele [Alessandro] começou a chorar e falar que não ia dar certo e eu disse que ia. Aí peguei e tomei [dinheiro] do vizinho emprestado”, disse a mãe de Alessandro, Tatiane Serpa.

Ao todo 14 jogadores receberam propostas de Cláudio Moraes e cinco deles registraram ocorrência na delegacia de Ibicaraí.

Célia Santos registrou queixa após pagar por um contrato para o filho jogar no Gil Vicente, clube que disputa a primeira divisão de Portugal. “Sempre foi o sonho dele [filho] jogar muito longe. Eu perdi R$ 600”, lembrou.

Segundo os familiares, Claudio Moraes negociava os preços através de áudios e vídeos enviados pelo WhatsApp. O treinador de futebol Anderson Lima foi a pessoa que manteve contato com Cláudio Moraes nos últimos dois meses. De acordo com Anderson, os valores pagos pelos pais dos jogadores variaram entre R$ 200 e R$ 2 mil por atleta. Meninos de outras seis cidades da região também caíram no golpe.

“As cidades que foram atingidas por esse golpe foram Ibicaraí, Itororó, Almadina, Itabuna, Ubatã, Ilhéus, Itapé e Itacaré. Dentro dessas cidades que eu citei são aonde eu tenho o meu trabalho regional conhecido, não só em Ibicaraí, mas em boa parte da região, foi aonde eu tive o contato dos alunos e que eu fui tentar levar oportunidades, sonhos oficiais para eles, mas chegou alguém para estragar esse sonho”, lamentou o treinador.

Além dos valores cobrados para levar os jogadores até os times, o agenciador também pediu aos pais uma contribuição pra alugar vans que levariam 70 pessoas até Ilhéus, onde aconteceria um jantar de despedida dos atletas. De acordo com os familiares, a festa também nunca aconteceu.

O caso é investigado na delegacia de Ibicaraí. A reportagem da TV Santa Cruz entrou em contato com o agenciador Cláudio Moraes e ele informou que quer devolver o dinheiro das famílias e pretende fazer isso até segunda-feira (18). O suspeito também disse que as viagens não deram certo, porque houve um atraso na documentação tanto por parte dele como dos atletas por meio do treinador. (G1)

(Visited 2 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *