Mais de 3 toneladas de óleo são removidas em Cumuruxatiba, no Sul da Bahia

Mais de 3 toneladas de óleo são removidas em Cumuruxatiba, no Sul da Bahia

Foto: Prado Notícia

As manchas de óleo retornaram para o litoral de Cumuruxatiba, no município de Prado, no Extremo Sul do estado nesta quinta-feira (14). O secretário municipal de Turismo, Cultura e Esporte, Wander Noronha, afirma que fragmentos apareceram na região após cerca de uma semana sem registros da chegada do resíduo.

Segundo voluntários do grupo Cumuru Sem Óleo, foram recolhidos cerca de 3 toneladas do resíduo que estavam nas praias de Rio do Peixe Grande, Rio do Peixe Pequeno, da Fazenda e do Centro. A informação foi confirmada pelo Ibama.

Segundo a arquiteta Iris Brasil, 41 anos, que participa do grupo, foram identificadas manchas de diversos tamanhos na região.

“Havia, inclusive, uma mancha de três metros de diâmetro. Era a mancha-mãe. Tinham outras menores de todos os tamanhos possíveis”, relatou.

Ainda de acordo com Iris, as primeiras manchas foram avistadas durante um monitoramento feito pelo grupo por volta das 7h desta quinta.

“Depois de encontrar as manchas, acionamos os voluntariados e equipe da limpeza pública de Cumuruxatiba. Mais tarde, vieram os agentes de Prado”, disse.

Ainda segundo ela, cerca de 15 agentes de limpeza pública trabalharam na retirada do material junto com três homens da Marinha.

Apenas de voluntários foi mobilizado um contingente de cerca de 150 pessoas. Os ajudantes limparam 5 km de praia, informou Iris.

O secretário Wander Noronha afirmou que o retorno dos fragmentos preocupa, mas que a prefeitura local está de prontidão para realizar a limpeza das praias.

“Com a possibilidade de reincidência, temos que orientar o turista para caso ele identifique algum fragmento de óleo”, explicou ele.

Ainda segundo Wander, houve uma queda de menos de 5% no turismo do município devido as manchas de óleo.

O professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e coordenador da Rede Abrolhos, Rodrigo Moura, informou que a Reserva Extrativista do Corumbau foi “duramente atingida” nesta quinta. Cumuruxatiba faz parte da reserva.

Cumuru Sem Óleo
Há 15 dias, moradores de Cumuruxatiba criaram o grupo Cumuru Sem Óleo para monitorar as praias e limpar os resíduos que já haviam chegado ao local. Os voluntários ainda instruem a população sobre os riscos do contato com o petróleo cru.

“Até ontem era um trabalho preventivo e hoje tem um trabalho mais intenso de coleta”, disse. “A gente recebeu pequenos fragmentos e em duas ocasiões foram manchas de cerca de 40 cm em umas das praias, isso tem mais de uma semana”, completou.

O grupo começou com o entendimento dos moradores da região de que era preciso se preparar para responder à chegada de óleo. Uma das buscas do Cumuru Sem Óleo é por mais apoio com a doação de materiais e a disponibilização de agentes públicos para a limpeza da costa.

Veja a lista de paraísos baianos atingidos pelo óleo e a situação em cada local:

1 – Praia do Forte/Mata de São João (poucas pelotas remanescentes)
2 – Imbassaí/Mata de São João (poucas pelotas remanescentes)
3 – Morro de São Paulo/Cairu (poucos fragmentos remanescentes)
4 – Boipeba/Cairu (poucos fragmentos remanescentes)
5 – Garapuá/Cairu (poucos fragmentos remanescentes)
6 – Guarajuba/Camaçari (praia limpa)
7 – Itacimirim/Camaçari (praia limpa)
8 – Arembepe/Camaçari (praia limpa)
9 – Itacarezinho/Itacaré (praia limpa)
10 – Trancoso/Porto Seguro (poucos fragmentos)
11 – Arraial d’Ajuda/Porto Seguro (poucos fragmentos)

*Com orientação do chefe de reportagem Jorge Gauthier.

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *