Menina de 8 anos fica com manchas e bolhas após banho de mar na Ilha de Itaparica

Menina de 8 anos fica com manchas e bolhas após banho de mar na Ilha de Itaparica

A Bahia tem dois novos casos de pessoas que apresentaram sintomas como manchas e bolhas pelo corpo após um banho de mar. Desta vez, os banhistas estavam na Ilha de Itaparica, no município de Vera Cruz.

Um grupo de seis pessoas viajou no fim de semana de 19 e 20 de outubro, para passar um fim de semana em um condomínio na Ilha. Após um banho de mar, Eloá Gomes, de 8 anos, relatou que estava com o dedo doendo.

“Minha sobrinha começou a relatar que o dedo doía, queimava. Na segunda-feira (dia 20), minha sogra me ligou e disse que ela piorou, que estava com a mão toda queimada, cheia de bolha, teve febre. Ela levou a menina na Casa de Saúde Maria Lapa Bittencourt, na cidade onde ela mora, Elísio Medrado”, narra a tia da garota, Patrícia Lefundes, 37.

Dedos de Eloá começaram a apresentar bolhas após banho de mar (Foto: Acervo pessoal)

Segundo ela, o médico prontamente perguntou se a menina tinha saído da cidade. Com a confirmação de que tomaram banho de mar em Itaparica, ele alertou que se tratava de alguma alergia por contaminação na água. “Falamos que não tinha óleo na areia, nem na água, por isso tomamos banho, mas pode ter ficado algum resto do óleo”, lembra.

Não foi só Eloá quem manifestou sintomas semelhantes ao turista mineiro que foi internado em Ilhéus, também após um banho de mar. Uma amiga de Priscila, que também estava na viagem e molhou apenas as pernas no mar, quando chamou as crianças para retornarem à areia, também está com manchas pelo corpo.

“Ana se queixou que a perna dela está ardendo muito, que começou a nascer bolhas pequenas, ficou quente. Tem um tempão que elas estão assim. A mão de minha sobrinha está toda preta, horrível, e minha amiga só uso calça até hoje, porque está toda manchada”, completa Patrícia, ao relatar os sintomas da amiga Ana Brás.

A dona de casa contou ainda que o marido dela, que também estava na viagem, não foi à praia, mas também ficou com uma mancha superficial. “Ele nem saiu de casa, mas minha sobrinha encostou nele quando voltou da praia, estava molhada, aí ele está com uma mancha até hoje”.

Crise do óleo no Nordeste

Confira mapa de locais atingidos por mancha de óleo na Bahia

Tudo o que você precisa saber sobre o óleo que atingiu o Nordeste

Médicos da Ufba pedem que seja decretado Estado de Emergência

Posso ir à praia? Depois do óleo, dúvida atormenta banhistas

Inema diz que está liberado o banho de mar caso não haja óleo visível

Substâncias do petróleo cru podem ser relacionadas ao câncer

Ufba questiona liberação de consumo de peixe feita pelo governo federal

Todos os sintomas são semelhantes entre as pessoas que relatam ter tido contato com a substância que invadiu o litoral nordestino desde agosto e poluiu também várias praias da Bahia – inclusive as de Vera Cruz.

Em Ilhéus, o turista mineiro Anderson Gabriel Palmela, 38 anos, ficou uma semana internado no Hospital do Cacau, com manchas e muito enjoo após um banho de mar. Já em Salvador, a professora Tailane Conceição Santos, 28, foi a primeira pessoa confirmada pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) com sintomas de intoxicação por petróleo cru. Ela saiu para uma caminhada e, ao pisar no óleo, também começou a sentir tontura, dor de cabeça, vômito e vermelhidão em algumas partes do corpo.

O CORREIO tentou contato com a Prefeitura de Vera Cruz para saber se algum outro caso parecido com o de Ana e Eloá foi notificado, mas não obteve êxito.

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *