Segunda Crônica de um Domingo Azul: A Festa

Segunda Crônica de um Domingo Azul: A Festa

Foto: Redes Sociais

Tudo azul em Pituaçu. Tudo Azul em Ipiaú. O Doce Mel do interior mostrou seu sabor na capital, deixou um gosto de fel na boca do adversário. Carimbou com uma goleada ( 3 X 0) o cobiçado passaporte para a elite do futebol baiano. Até então, o imbatível Olímpia não admitia sofrer tamanha humilhação. Já estava de salto alto, enquanto nós calçando as sandálias da humildade. Pés no chão, cabeça nas altitudes. Atitude de quem não se entrega.

Em revoada os azulões voltam de Pituaçu, trazendo a vitória. Eles vêm cantando, celebrando um feito histórico, com vontade de voar mais alto. Os bravos jogadores do Doce Mel mostraram que Ipiaú continua um Município Modelo. Merecem um desfile em carro aberto, trio elétrico, honrarias, cremosinho todos os dias, fardos de polpas de frutas, néctar do Monte Olímpio. As lágrimas dos meninos do Olímpia deságuam em mangues metropolitanos. Em lascas ficou o time de Talisca. Que vão chorar na China.

Cá entre nós é só gargalhada, uuuu… Ipiaú. Vai rolar a festa na segunda-feira, na semana inteira. E haja mel. A segunda-feira será mais alegre, mais azul. Allez le bleu, em frente azuis. Um, dois, três, chegou a nossa vez. Que venha o Bahia, o Vitória, a Catuense, o Conquista, Juazeirense e Fluminense. Estamos prontos para crescer, vencer sempre. ( Giro/Jose Américo Castro).

O post Segunda Crônica de um Domingo Azul: A Festa apareceu primeiro em Giro Ipiaú.

(Visited 3 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *